domingo, 9 de outubro de 2011

2

A medida do Ser



Perdi a noção quando comecei a falar o que quis, doesse a quem doesse
Quando, depois de um período de longa resignação e ressentimento, renasci das cinzas e quis me impôr a todo custo
Perdi a medida quando falei sem pensar, quando falei o que pensei, sem se importar com quem ouviu
Perdi a noção quando me antecipei e tirei conclusões precipitadas, sem ouvir as pessoas e sem atestar os fatos. Sem analisar a situação. Quisera eu ter tido a prudência dos gatos.
Perdi a noção quando pensei não estar sendo valorizada tanto quanto merecia, pois olhei demasiado para mim, talvez agregando um valor superestimado.
Perdi a medida quando não me coloquei no lugar do outro, quando perdi a empatia.
Reencontrar a medida certa é uma oportunidade singular, sutil, um presente.

PARA LER E ASSISTIR:




 Ensaio sobre a Cegueira, do escritor português José Saramago (in memorian) e filme dirigido por Fernando Meirelles.


2 comentários:

► JOTA ENE ◄ disse...

A proposito do titulo do seu blog... SE EU PUDESSE TOMAVA CAFÉ TODA A TARDE... (in)felizmente não posso.

Paula Lourenço disse...

Gostei muito!Andava a pesquisar na net e encontrei o teu maravilhoso blog ,seguindo:)sou escritora, escrevo poesia, se quiseres visitar estou á tua espera...beijinhos de sol
Paula lourenço

Postar um comentário

Olá,
É muito bom ter você aqui para comentar, deixar suas idéias e opiniões e também um pouquinho de você!
Obrigada por participar!
Eu também comento aqui. Assim, podemos interagir melhor!
você é muito bem vinda (o)!